terça-feira, 4 de outubro de 2016

Barco

E quando a maré finalmente acalmou,
Não adiantava mais,
O barco afundou.

E com ele, todo sopro de vida foi
Esvaindo conforme às resistências da tempestade.

A força se findou
E só lhe restou se entregar para o seu triste fim.

No fundo do mar apenas restou a  lembrança da existência da profunda solidão que se encontra agora em seu tormento silêncio de suas  águas profundas.

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Passagem

O vento trouxe a companhia dele.

Sem clichê, os dizeres tinham medidas

dos sentimentos sinceros sendo vivido a dois.


A calmaria vinha da entrega de nós 

com um jeito quase sem defeito,

não permitindo a solidão.


Com as passagens da lua,

a vontade era aguçada,

desejando um pouco mais do

que era nosso.


A graça era sermos vistos

pelos nossos olhares a partir

dos beijos correspondidos.


segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Tinder x Pornografia

Passamos muito tempo pensando no relacionamento ideal, e quando, finalmente, nós estamos em um percebemos que nada do que pensamos acontece. A história de que pessoas se encaixam perfeitamente, amor à primeira vista e que diferenças só existem para os opostos... tudo é contrariado.
Eu posso te garantir que não existe par perfeito. Eu pensava que todos aqueles conselhos que as pessoas dão para  ter um relacionamento bom funcionavam, por mais que você diga que tenha paciência, amor e muita perseverança, o relacionamento não é baseado apenas naquilo que você quer colocar em prática, que acha relevante. Enquanto você acha que o melhor é não tocar naquele assunto da discussão, o parceiro tá se mordendo por dentro te esperando tomar a iniciativa. Você, por um lado, acredita que algo é totalmente  irrelevante e que é coisa de gente imatura,  por outro lado tem o seu parceiro que  se sente totalmente desvalorizado ou desmotivado porque você não valoriza o mesmo que ele.  Tem que ter muito jogo de cintura.
No que pesa sobre essa questão de valores, eu estive pensando um dia desses sobre a semelhança entre o tinder e a pornografia. É isso mesmo que você leu! Tinder x pornografia. O que essas duas coisas tem em comum? Bom, acompanha o meu raciocínio. A pornografia é vista por muita gente, muita mesmo! E sendo mais específica, quantos casais brigam por causa dela? Inúmeras. Normalmente, é o parceiro que vê e assiste conteúdo de sexo explícito, já a parceira, não. A pornografia é assunto em muitos blogs, revistas e tema de debates. Existem aqueles que são contra e outros que são a favor. No pensamento moderno, é um absurdo alguém não aceitar a pornografia no relacionamento, certo? É tão natural aos olhos de quem vê. Enquanto para o parceiro é tão normal assistir pornografia, para a parceira o sentimento de desprezo, desvalorização e baixa auto-estima é certeiro quando o assunto é PORNÔ. Putz! Mulher ainda se estressar por causa disso?  Bobagem. As pessoas  continuam vendo pornografia sem levar em conta que o parceiro se sente profundamente ofendido.
Passamos agora para o tão famoso aplicativo de paquera. Acho que a maioria dos casais não aceitam que o parceiro tenha uma conta no Tinder, e por quê?  O argumento é de que se você está num aplicativo de paquera e conversa com alguém, mesmo que não dê em nada ou não haja paquera de fato, você está traindo o seu parceiro, pelo motivo de que as pessoas que estão ali tem o objetivo  de paquerar. O parceiro que é contra se sente profundamente ofendido porque o seu amado está dando intimidade para alguém que supostamente quer sexo.
E você ainda está se perguntando:  Qual é a ligação deles dois, afinal?  Bom, a minha reflexão é para os valores dos parceiros que se sentem ofendidos, seja pela pornografia ou o aplicativo de paquera. Ambos os casos, os parceiros que são contra a pornografia e/ou o tinder, se sentem profundamente traídos e desvalorizados quando o amado utiliza de um desses meios para relaxamento sexual ou bate papo.  Nos dois casos, o sentimento de traição e desvalorização está totalmente inerente, independente de quem esteja com a razão. Por que se masturbar assistindo uma mulher ser "comida" (desculpa pelo termo) é menos grave que bater um papo num aplicativo de paquera?  Por que os valores quanto a pornografia são invalidados hoje em dia? Porque a cultura sexual está impregnada em nossas vidas de tal forma que qualquer argumento contra isso é descartado, já o tinder é tão novo nos meios de comunicação que ainda existe gente contra ele.
Eu não estou defendendo nenhum deles, na verdade, eu sou contra os dois. MAS!!! num relacionamento, é um fato super agravante quando o casal não consegue conversar sobre coisas tão sérias para um dos dois. A pornografia e o tinder não são assuntos em pauta de uma conversa entre muitos casais. As mulheres preferem ficar caladas a tentar conversar com o parceiro sobre a pornografia ou vice-versa.
Seja lá o que incomoda você no seu relacionamento, TUDO deve ser pautado. TUDO! Os casais necessitam entrar em um acordo quanto a todas as coisas que incomodam no relacionamento, seja tinder, pornografia, fotografia, facebook. Seja lá o que for, ignorar o sentimento do outro simplesmente por achar idiota, é um dos maiores crimes contra o amor. E depois de dizer tudo isto, eu volto pro começo do texto. Sem maturidade, paciência, perseverança e amor, não há relacionamento que sobreviva. Sem acordo, não existe harmonia.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Do toque

 Sinto-me como se fora tirada de mim. Eu sinto! É quase perceptível. 
Eu sei que posso sentir.
Face a face. 
É o teu beijo que vem logo em seguida.
Dos meus braços vazios que te chamam,
é a lembrança que aquece inclusive a minha alma.
Da saudade que tenho, eu posso quase sentir o doce toque de suas carícias. 
Do seu amor eu vivo da solidão como se fosse teu presente,
porque é por ela que eu posso ter-te pelo menos na ausência.

terça-feira, 3 de setembro de 2013

Um pouco mais

Estava a lembrar dos teus beijos.
Que saudade dos agarros  de seus amassos. 
Dos meus lábios deslizando sobre as entrelinhas dos seus segredos.
A doçura do passeio de nossos dedos refletindo os nossos olhares atrevidos.

Que saudade do encontro das nossas curvas
deslizando no compasse da nossa batida latente.
Da resposta de nossas peles ao se acariciarem.

Que saudade do aperto do teu peito
em tirar quase todo meu ar a cada suspirar.
Da insaciável vontade de te ter mais um pouco.
Estava a lembrar dos teus beijos 
e pensei
um pouco mais.


terça-feira, 28 de maio de 2013

A companhia da ausência

A minha saudade renovava a cada amanhecer.
Dia após dia, a minha felicidade era construída pelas suas vindas.
Agora, sem vê-lo, ela se perdurará pela sua ausência,
O anelo de tê-lo junto a mim.

Tu levaste contigo a minha paz em teu sorriso,
O complemento de meus dias,
O restante dos passos de nosso destino.

Bem sei que, ainda com a insuportável companhia de sua espera
Eu terei como a minha sina vivenciar os dias com o adiamento
de sua chegada,
até que ela venha com o acúmulo da saudade
e o consumo do atraso
com os beijos selados
sem tardar, sem findar
Sempre nós.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Dar-te-ei

Decorre em meus lábios os
movimentos dos beijos
dos seus dizeres traduzidos.
Enrosco em suas linhas inferiores. 
A tua boca consumiu os segredos, 
as doçuras do desejo.
Insaciável vontade de ter, 
a minha boca sente falta da sua,
Do toque em minhas curvas labiais.
Refazendo meu querer por te ter
Sendo seduzida pelo seu amor ardente.
Dos nossos beijos intraduzíveis
Minha boca dilata pela sua graça.
 Da umidade que advem do que é nosso
Dar-te-ei mil carinhos meus à espera
da minha boca ávida por seus beijos atrevidos.


segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Desvario


Que coisa bonita!
Eu sinto a vida viva.
Perdoei as minhas traições.

Prezo pelo bem, meu bem.
As coisas não são tão ruins  assim.
Eu te perdoei, Aline.

Você é a minha menina
O seu olhar que sustenta
meu querer, o meu bem viver.

Sem você prefiro nem viver,
a não ser que encontre um outro
alguém parecido com você.

Te amo e nada mais.
Nada mais além dessa vida,
tirando a minha solidão.

És o melhor pensamento.
A flor que perfuma.
O amor que tanto procurava.
Minha sina.

Você tem aquele jeito
que ninguém mais tem
É fora do natural,
inclusive a sua cor
que é tão linda


Porque você tira
o melhor de mim.
Aquilo que nunca terei,
pois eu só reconheço o amor
quando estou  passeando em
suas perfeitas curvas.

Rotulado como louco só pelo
fato de você ser o meu ponto fraco.
O que faz minha carne tremer.

Não me canso de nós dois.
Beijo teu desejo. Vejo Tua alma.
Contemplo a felicidade.
Sua boca.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Dor, sem dó


Com a provação do desespero,
Ela decidiu num ato sóbrio
Inaugurar o que estava a tanto tempo guardado.
Num resultado nada proveitoso,
A satisfação não foi seu presente.

O jogo desigual das igualdades,
Sentiu em seus próprios quadris
O peso que carrega por natureza.

Com a graça que acabara de receber
A inversão do valor é desperdiçada
Quando não se carrega a dádiva no próprio ventre.

Tornou-se faminta pela busca da satisfação feminina.
Desenfreada, ela buscava ser  o centro da sua vida.
Jogava em alheios a satisfação do que seria a felicidade.

Com o tempo as manhãs ficaram sem luz
Até que um dia, com um fluxo, jogou no lixo de sua casa
o que encheria seu corpo, alma e coração.

O espetáculo de desgraça.
O infeliz sorriso. 
O esforço de ter que conviver 
com o próprio peso, o merecimento 
de ter que ser assim. 
De ter sentenciado a morte do que seria só seu 
sorriso.



Algemas de papel


A razão é sujeita a conveniência.
Simples desvaneio do concreto.
Falta de sinceridade e perspectiva
Da clareza da verdade.
Há ausência de argumentação ou
 De qualquer tipo de acordo.
 A satisfação é o susto alheio
às cegas do outro lado da verdade.
Reféns do caos, a preferência
é continuar cego.
Ser escravo da ignorância e apenas
Almejar a sabedoria.
Em rédia do próprio preconceito,
Os dias são vivenciados com a
Miserável riqueza que se construiu.
Passam-se os invernos
E a parte boa é o que o fim um dia chega
E tudo que já foi dito é enterrado junto
Com o túmulo, sem ao menos ter direito
A declamação de uma pequena revolução.
Aceitar a própria pequenez e passar despercebido.
Apenas mais um.